!! ATENÇÃO !!

Atenção: O conteúdo deste site não é recomendado para pessoas sensíveis, com problemas cardíaco e pessoas que não suportam emoções fortes.
O conteúdo deste site é recomendado para maiores de 18 anos, pois contém cenas fortes de terror, violência e palavreado chulo.
Pessoas nestas condições não devem continuar visualizando o conteúdo.

A Spooky Rose não está sujeita à responsabilidade dos mesmos.

Atenciosamente, Joey Spooky Rose.

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA

terça-feira, 28 de julho de 2015

Begotten

Begotten é um filme experimental, de terror de 1991, escrito e dirigido por E. Elias Merhige.

O filme forte ligação com religião e com a história bíblica do Gênesis e da Criação. Mas como Merhige revelou durante entrevista, a sua principal inspiração foi uma experiência de quase morte que ele vivenciou quando tinha 19 anos, após um acidente de carro. Não há diálogos no filme, mas em seu lugar usa indiscriminadamente fortes imagens de dor e sofrimento humano para contar seu mito.

Foi filmado em preto e branco, e então cada quadro foi refotografado para tomar sua aparência final. Não há meio tons. Isto foi feito para dar a atmosfera sobrenatural do filme, e algumas vezes quem está assistindo não consegue interpretar exatamente o que está sendo mostrado, mas pode inferir um sentido de sofrimento. O visual do filme é descrito no trailer como "um teste de Rorschach para os olhos". Merhige disse que para cada minuto do filme original, tomou-se 10 horas para refotografar até atingir o visual desejado.

Merhige também já revelou, em algumas entrevistas, que ele gostaria que este filme fosse o primeiro de uma trilogia. Ele está tendo dificuldades para obter o apoio financeiro apropriado, e atualmente não se sabe se os outros dois filmes serão feitos.

O clipe para a música Cryptorchid de Marilyn Manson inclui cenas de Begotten e foi dirigido por E. Elias Merhige.


segunda-feira, 27 de julho de 2015

Horror aos ouvidos: Trilhas

Como falar de terror, filmes e séries, sem falar da trilha sonora não é mesmo?
Já viemos vendo que antigamente se compunham músicas para velórios, os famosos e belíssimos Réquiem. Nas projeções mais antigas onde não havia trilha incorporada à película, orquestrações já faziam parte dos espetáculos, com músicas acompanhando a exibição do filme (e às vezes, eles estavam presentes até mesmo durante as filmagens), ajudando a estabelecer a atmosfera para aquela obra.
Desde que o filme passou a contar com trilha de áudio sincronizado, um novo interesse passou a surgir no cinema, gerando novas discussões, problemas, críticas e possibilidades.
E o que seria dos filmes sem as músicas?

Claro que quando falamos sobre filmes de terror, clássicos e trilhas sonoras, nós, amantes do terror, sempre nos lembramos dos filmes de horror e suspense clássicos: os filmes silenciosos. Mesmo assim uma rápida pesquisa nos mostra que o clássico Nosferatu (1922), por exemplo, teve uma trilha exclusivamente composta para ele, feita pelo músico alemão Hans Erdmann. Mas sem querer entrar no mérito de discutir se o cinema seria o que é hoje se não tivesse som ou trilha sonora, pretendo neste artigo mostrar as trilhas sonoras inesquecíveis para o cinema horrorífico, trilhas essas que geralmente ajudaram não somente a estabelecer o clima de um filme, mas também sua identidade e se tornaram indissociáveis dos personagens vilanescos, das vítimas, dos momentos de tensão e dos arrepios sentidos perante as telas do cinema.

Gêneros dos mais famigerados, o horror e o suspense de horror, sempre encontraram um sábio uso das composições para ajudar na geração do medo, pavor, angústia, sustos e calafrios. Eis aqui então uma lista que eu separei, que pretende ser definitiva, uma vez que representam uma visão pessoal, mas em vez disso apresentar os belos acordes de composições que ajudaram o cinema de horror a se tornar ainda mais especial para nós fanáticos.

Para a lista não ficar muito extensa, aqui vai alguns filmes que separei para que possamos relembrar as nossas épocas de criança, quando víamos nossa família assistindo a um filme e morríamos de medo:

14. Final Destination


Shirley Walker (falecida em 2006) foi uma das raríssimas compositoras mulheres no cinema. Frequentemente presente em filmes de horror e ficção científica, ela compôs para vários trabalhos da produtora New Line (A Vingança de Willard, a série Premonição) e também para filmes como Memórias de Um Homem Invisível e Fuga de Los Angeles, onde foi parceira de John Carpenter. No primeiro filme da popular cinesserie, Walker entrega uma trilha simplesinha, mas extremamente eficiente e onipresente na trama, que faz dos créditos iniciais e da sequência do acidente momentos ainda mais tensos e inesquecíveis.




13.  Cabin Fever



Nathan Barr (True Blood e Hemlock Grove) trabalhou junto com Angelo Badalamenti (sim, ele mesmo, parceiro habitual de David Lynch) e fizeram com que o infame filme de estreia de Eli Roth ganhasse um charme ainda mais especial. Os destaques ficam para duas composições de Badalamenti, “Red Love” e “Good Kisser“. Mestre é mestre.



12. May




O filme de estreia de Lucky McKee, é um filme inteligente e com aquele charme de filme indie, é muito bem estruturado e atuado por Angela Bettis, combina inteligentemente o drama com o horror psicológico e às vezes gráfico. Tudo isso embalado pela trilha sonora alternativa dos Breeders e The Kelley Deal 6000. Mas o destaque na trilha fica mesmo por conta das composições originais de Jaye Barnes Luckett, que exploram de maneira magnífica a mente perturbadora e solitária da personagem-título.




11. Re-Animator





Livremente baseado na obra do mestre H. P. Lovecraft, o cult dirigido por Stuart Gordon ficou marcado pela perfeita combinação entre horror e humor. Essa mistura também está presente na ótima trilha de Richard Band (Do Além, Sonhos na Casa da Bruxa).




10. The Silence of the Lambs




Um dos poucos filmes do gênero aclamado pelo Oscar, o thriller de Jonathan Demme, estrelado pelos grandes Jodie Foster e Anthony Hopkins, também contou com uma discreta, porém essencial trilha composta pelo talentoso músico Howard Shore (habitual parceiro de Peter Jackson, David Cronenberg e ganhador de 3 prêmios da Academia).






9. Heallraiser




O filme de estreia de Clive Barker, surreal e impactante, gerou um status cult e milhares de fãs para o universo da trama, gerando uma franquia gigante (até agora, com nove filmes). Se a trilha do primeiro filme já era diferenciada, composta pelo especialista no gênero, Christopher Young, o segundo capítulo mantém a estética onírica e a trilha é ainda melhor, com destaque para o poderoso main theme, Second Sight Séance




8. Friday the 13th




O primeiro exemplar da enorme franquia do assassino Jason Voorhees (até agora, com 12 filmes), claramente copiado/inspirado pelos slashers que vieram antes dele (notadamente Halloween), ficou marcado também pelo mais famoso “acidente musical” em trilhas de horror, quando o compositor Harry Manfredini usando seu Echoplex acabou criando o sinistro som “ki ki ki ma ma ma“, um eco derivado de “kill her mommy, kill her“, pronunciado no filme por uma demente Pamela Voorhees (Betsy Palmer). O som acabou virando uma das marcas da cinesserie.



7. The Wicher Man




O perturbador exemplar do horror inglês estrelado por Christopher Lee conta com trilha composta pelo músico Paul Giovanni e que remete de certa forma a conspirações e ritos religiosos.




6. Poltergeist



Os sintetizadores estão de volta à lista na trilha composta pelo ganhador do Oscar, Jerry Goldsmith (Alien, Jornada nas Estrelas) para o clássico de Tobe Hooper e Steven Spielberg.





5. Cannibal Holocaust



Dentre as qualidades do polêmico longa, a trilha de Riz Ortolani se destaca com folga. Com composições melódicas que combinam perfeitamente à natureza selvagem e outras mais furiosas, Ortolani é um dos motivos pelos quais vale a pena assistir (ainda que somente uma vez) a esse exemplar mais famoso do ciclo do canibalismo no cinema italiano.




4.The Entity





Neste obscuro exemplar de horror sobrenatural oitentista, uma mulher alega sofrer um constante assédio (sexual) de uma entidade demoníaca invisível, baseado em fatos reais e no romance de Frank De Felitta, que também assina o roteiro. O destaque, além dos perturbadores ataques da “entidade“, fica por conta da trilha composta por Charles Bernstein (A Hora do Pesadelo, A Noite das Brincadeiras Mortais)





3. The Shining




O único filme de horror de Stanley Kubrick, conta com composições de Krzysztof Penderecki, Béla Bartók, Wendy Carlos, entre outros, a trilha sonora combina perfeitamente ao clima de horror psicológico da trama em suas composições. Este filme é um dos melhores que já assisti e está na minha lista dos favoritos!



2. IT




Bom, eu não poderia deixar passar este maravilhoso filme, de um autor que eu ADORO chamado, sir Stephen King! It (em português: It - Uma Obra Prima do Medo) é um telefilme americano de 1990, com adaptação cinematográfica do livro homônimo de Stephen King. Contendo muitas trilhas especiais e perfeitas para o filme, esta é uma das muitas trilhas das quais eu escuto como se estivesse escutando Led Zeppelin... Vida eterna ao nosso amado sir King!



1. The Exorcist




Eu não poderia deixar de falar deste filme! Dá até vontade em escrever em caps.. Mas vamos lá...
Eu cresci assistindo esse filme. Eu li várias vezes o livro que tenho, vi o filme várias vezes e ainda continuo vendo o filme e lendo pelo menos três vezes por ano... Eu sou simplesmente VICIADO neste filme. E quero dedicar esta trilha ao meu grande amigo Carlos, que ontem mesmo tocou essa trilha em seu piano em sua casa... Não tenho mais o que falar deste filme, eu simplesmente amo de mais este filme e sou grato ao William Peter Blatty por tal obra incrível!






Quer ver mais trilhas? Então nos envie um e-mail fazendo o seu pedido, que farei de tudo para achar a trilha perfeita para postar!






A Chave do Monarca Azul

No ano passado (2014), Bruno Moraes começou a escrever A Chave do Monarca Azul como um conto. Agora, o autor buscou ajuda para lançá-lo como um livro através de um projeto de financiamento coletivo pelo Catarse. A campanha foi um sucesso e alcançou o valor que pretendia arrecadar bem antes do prazo final.

A Chave do Monarca Azul é uma obra de “horror cósmico” e “dark fantasy” narrada na claustrofóbica primeira pessoa de um escritor em crise. A história segue um autor de terror best-seller, consagrado no cenário da ficção nacional como um dos maiores de sua geração. Às vésperas do lançamento de seu esperado quarto romance, porém, ele recebe em casa uma correspondência que ele não havia encomendado. Era uma caixa. E o remetente se identifica como “Arlequim”, a entidade-pesadelo que o visitava em sua infância.

Citando Neil Gaiman, H.P. Lovecraft, Julio Cortázar, Lourenço Mutarelli e David Lynch como influências, Moraes lançará o livro em PDF com duas histórias bônus, e também em formato físico. O autor também organizou um sorteio para os apoiadores que adquirirem as recompensas que incluem o livro físico. Os ganhadores poderão escolher entre o livro, uma camiseta ou um pacote de três pôsteres e cinco ilustrações como prêmios.


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Minha história assombrada - Fatos que eu não queria que acontecessem comigo

Minha história assombrada - Fatos que eu não queria que acontecessem comigo.

Por: Joey Spooky Rose

A primeira história real que aconteceu comigo, que irei contar nesta sequência, será de quando eu era pequeno. A história pode parecer mentira, mas até hoje eu tento não me lembrar mais do que eu vi...

Eu tinha aproximadamente entre sete, oito anos de idade e queimava em febre por uma gripe forte que me atacou. Eu estava tomando medicação como Dipirona para abaixar a febre. A indicação médica era a de que eu sempre estivesse de olho nos sintomas da febre, pois na época estava indo muitos pacientes no hospital com pneumonia.
E foi justamente o que eu tinha: Foi quando tudo aconteceu...
Eu estava deitado dormindo, quando acordei de repente e olhei para a escuridão e chamei minha mãe. No quarto dormiam minha mãe, meu pai, minha tia, meu tio e no quarto ao lado, o meu avô. Quando minha mãe acordou e acendeu a luz, eu passei a entrar em pânico enquanto eu olhava apavorado para a parte de cima do meu guarda-roupa: Havia uma moça jovem de vestido preto e cabelos negros. Ela estava com a cabeça para baixo e os seus cabelos jogados no rosto. Seus braços estavam cruzados e seus ombros mexiam como se ela estivesse rindo de mim ou de alguma coisa. Eu vi aquela coisa ali por longos minutos...
Minha família acordou e tentava ver também, mas não viam nada. Todos entraram em desespero dizendo que não havia nada ali. Foi quando meu avô foi ao quarto dele, pegou a bíblia e o terço nas mãos, olhou para mim e então disse que não havia mais nada ali. Depois que olhei para ele, rapidamente olhei para a "moça" lá em cima. Ela já não estava mais lá...
No mesmo dia minha mãe me levou ao médico e o mesmo disse que eu deveria tomar soro o dia todo porque a pneumonia estava se agravando e eu estava em risco. O problema, é que eu me sentia bem, embora doente, não sentia nada de grave, entende? Pra mim era só uma gripe...
Na sala do médico, meus batimentos cardíacos estavam disparados, a temperatura do corpo estava em 39, quase 40 e enquanto me examinava eu senti uma vontade forte de vomitar.
No dia seguinte eu já não me lembrava de mais nada. Para falar a verdade, eu dormi feito um bebê... Sarei alguns dias depois e segundo o médico, eu tive alucinação por conta da febre alta.
O problema é essa alucinação, até hoje me apavora. Eu lembro de como foi...



E você? Tem alguma história que aconteceu com você, que você gostaria de contar?
Então entre em contato enviando uma mensagem na página Spooky Rose, no Facebook! Lerei sua história e então editarei para contar da melhor maneira possível! Mas não se preocupe, a história será original e a edição será apenas para adequar na hora de escreve-la!

Misteriosa Aparição Fantasmagórica se Esconde Atrás de Crianças

Uma família levou um grande susto quando inspecionavam as suas fotos de férias, quando viram o que havia no funto.
A imagem foi tomada quando a família Islam estava desfrutando de um dia no Roundhay Park, perto de Leeds, West Yorks, Inglaterra, durante as férias de Páscoa.

Nurul Islam, de 37 anos de idade, disse que sua irmã tirou a fotografia estranham que mostra sua sobrinha Mayrian Islam de 11 anos de idade, e seu sobrinho de 9 anos de idade, Ryhan Kaliq.
As fotos são realmente assustadoras e nos faz parar para pensar: "Se fosse eu, eu...".
Quando olharam as fotos, notaram uma foto em que dois jovens, que aparecem na frente de uma construção maravilhosa construída em 1812, eles ficaram chocados ao ver a assustadora aparição.
Nurul disse que todos ficaram chocados quando viram a imagem, que parece mostrar uma pessoa adulta vestida com um manto, subindo os degraus com seu braço estendido. Como se estivesse se agraciando com alguma coisa...

"Minha irmã tirou a fotografia e ela viu primeiro. O castelo não é muito antigo, mas quem vai saber quem viveu lá antes...
Nós estávamos tomando muitas fotos. Devido a que as pessoas estavam de pé nos degraus e andando, nós esperamos que eles seguissem em frente antes de tomar a foto.
Eu nem me dei conta disso e segui tomando mais fotos. Então, cheguei em casa e olhei as fotos e vi essa coisa na parte de trás que não estava lá antes. Não havia definitivamente ninguém lá quando eu fiz a imagem.".

Kevin Grady, diretor da Leeds Civic Trust, disse que esta foi a primeira vez que uma atividade macabra foi registrada no local.
Dr. Grady disse: "Inicialmente, havia um telhado de madeira no topo, pois lá havia um quarto superior que a família Nicholson usava. A construção foi usada como uma casa de família, uma sala de costura para as meninas e eles haviam funções sociais lá.".





E enquanto leio esta informação e a edito, sinto arrepios no braço esquerdo. Então sinceramente, continuem vocês, porque eu paro por aqui!
EU EIM!

Fonte: Assombrado
Imagens: Assombrado
Texto informativo original: Assombrado
Edição de texto informativo: Spooky Rose

Fantasma ataca em hotel!

Um vídeo muito estranho que surgiu na internet, está repercutindo e fazendo com que muitos amantes do sobrenatural se perguntem o que é que aconteceu.
Trata-se de um vídeo em que um "fantasma" aparece atacando em um hotel, movendo objetos e inclusive fazendo a mobília revoar pelo recinto.

No vídeo, um homem é visto de pé, no que parece ser o hall de um hotel, antes que ele inexplicavelmente saia correndo para fora da sala em que estava. Segundos depois, uma poltrona da mesma sala começa a deslizar pelo chão.



Outro clipe de uma câmera de segurança, supostamente gravado no mesmo edifício, mostra uma mulher sozinha em uma sala que parece ser um refeitório. A mulher de repente começa a olhar para um lado e para o outro, como se procurasse alguma coisa. Ela estava sentada, em uma grande sala, sozinha, mexendo em seu celular.
Ela então vira a cabeça de um lado para o outro quando uma cadeira que estava do seu lado, se mexe, fazendo-a saltar apavorada. A mulher então, em pé, tenta correr até a porta, mas uma das mesas e cadeiras, voam até a porta impedindo a rota de fuga da moça. Em seguida, apavorada, ela cai no chão desmaiada.



As filmagens foram enviadas para o canal Night Ghost House e causaram comoção entre os telespectadores do YouTube, onde usuários reagiram com comentários do tipo "Isso é incrível! Como é possível?!", enquanto outro acrescentou "Assustador! Realmente assustador!".

Veja o vídeo a seguir:



Você ficou espantado não é mesmo?
Pois é! Por mais amantes do terror que possamos vir a ser, nos assustamos e sentimos medo quando vimos algo assim!
Mas o vídeo nada mais, nada menos é do que um trecho de um trailer do filme malaio Bangunan. Veja abaixo:


Fonte: AssombradO
Fotos: AssombradO
Vídeos: YouTube

Quem procura acha

Por: Joey Spooky Rose

QUEM PROCURA ACHA



Há um relato dos mais sombrios entre todos que haviam ocorrido naquela cidade. Muitos eram apenas contos de horror para colocar medo nas crianças; outros eram relatos que as pessoas preferiram fazer deles fantasia, do que um fato. Às vezes a verdade pode ser muito mais imprudente do que a mentira de uma fantasia.
Contarei-vos um relato interessante que ocorreu em uma pequena cidade do interior de São Paulo, Brasil.

Era julho de 2012, quando Julio passou a ter alguns problemas que muitos acreditavam ser psiquiátrico, mas que somente depois de seu desaparecimento, outros jovens passaram a ter o mesmo problema.
Em uma página na internet onde haviam sentenas de assuntos de terror, inclusive muitos que falavam sobre músicas tocadas de trás para frente, onde podia-se ouvir algumas palavras, murmúrios, que faziam saudações ao outro mundo...
A página era visitada com frequência por jovens apaixonados por terror e coisas do gênero. Julio era um jovem de vinte e dois anos de idade e trabalhava em uma pequena livraria perto de sua casa. Ele era apaixonado por terror, filmes, séries de cinema, livros e tudo o que podia encontrar para se apavorar diante de uma boa leitura.  Já havia pesquisado muitas coisas, inclusive estudado casos reais, mas nunca havia tido aquela experiência...
Na noite de 22 de julho de 2012, Julio começou a pesquisar quase o dia todo sobre símbolos, histórias reais e coisas das quais davam saudações ao inferno quando ouvidas de trás para frente. Julio sempre gostou de Rock Clássico e mal sabia sobre a música de uma banda chamada Led Zeppelin que quando se ouvia do lado contrário podia-se notar algo que parecia dizer "Sad Satan". Ficou realmente perplexo e começou a pesquisar mais sobre outras bandas e gêneros musicais, inclusive chegando a ouvir cd's de vinil antigos, daqueles de quando nossos pais eram crianças... Oque ouviu o apavorou. Mas não parou por aí.
Passou então a estudar religiões antigas e símbolos, mas nunca colocou nada em prática. Sempre pulava as partes que ensinavam sobre rituais, algo que nunca queria ter como conhecimento.
Lia em vários sites contos de terror, OVNIS e até assistia alguns vídeos onde pessoas narravam histórias assombrosas.

"Naquela noite então, 13 de dezembro, aproximadamente quatro horas da tarde, ele foi encontrado morto com uma corda de piano em seu pescoço. Não havia sequer sinais de arrombamento em sua casa. Menos ainda piano ou qualquer instrumento que utilizasse daquele tipo de material."

"...olhou para o lado de fora de sua casa e então visualizou uma criatura ordinária e horrível, encarando-o nos olhos. Acreditou ser algum tipo de demônio. Procurou por padres e até mesmo por outros mestres religiosos para entender o que era aquilo. Sua irmã fora encontrada morta com os olhos esbugalhados em frente a lareira de sua casa, quando ele voltou da faculdade."

"Queria entender oque havia acontecido, mas tudo era muito novo e diferente. Abriu os olhos e então notou uma criatura pavorosa. Suas músicas agora faziam sentido: Demônios existem."

Chegou a pesquisar sobre um escritor de um site desconhecido, onde escrevera uma série de contos que passaram a acontecer com algumas pessoas aleatórias pelo mundo todo. O mais estranho é que o escritor havia tido fotos e nome de cada uma das pessoas. No quarto, onde o escritor havia sido encontrado morto com os seus miolos pelas paredes, haviam símbolos que a polícia local acreditava ser símbolos satanistas. As vítimas só foram encontradas quando a polícia decidiu investigar da forma mais inimaginável: lendo o livro e seguindo suas pistas. Somente duas saíram vivas. No final do livro, o escritor através de um personagem disse: "Somente duas para contar a história".
Sentiu um arrepio em sua espinha. Decidiu parar de pesquisar e relaxar.
Desceu até a cozinha, onde pegou uma lata de cerveja. Caminhou lentamente com um pote de amendoím em uma de suas mãos, até o seu quarto e então olhou para o monitor de seu computador: no site, uma foto que ele não lembrara de ter deixado ali ou até mesmo de ter navegado na página onde se encontrava a porcaria da foto... Uma forma real de Baphomet. Uma cabra totalmente perfeita na figura daquele demônio. Tentou murmurar algumas palavras como "que merda é essa?!" mas engasgou com o gole de cerveja que havia dado bem na hora em que viu aquilo. "Devo ter deixado a página aberta sem perceber..." -Pensou, tentando convencer a si mesmo.
Fechou o navegador de seu computador, colocou uma música calma para tocar. Beatles. O clipe passava normalmente. Sentou em sua cama de forma que ficou quase deitado. Alguns amendoíns caíram pela cama e como de costume, Julio caçou alguns levando-os para a boca e mastigando. "croc croc".
Respirou profundamente tentando não se lembrar dos símbolos que havia visto em uma história. "Bobagem!".
Abriu os olhos e olhou para o teto de seu quarto. Encarou as paredes lentamente, admirando cara poster da Marvel e DC Comics, empresas de quadrinhos de super heróis. Deu um leve sorriso enquanto pensava: "Como eu sou criança... Eu guardo isso há tantos anos e até hoje não consigo me livrar".
De repente, ouviu um grunhido estranho. Como se alguém estivesse engasgado enquanto tentasse falar. Olhou assustado ao seu redor. Viu em seu computador a foto do álbum Abbey Road, da banda Beatles e então se lembrou de uma lenda que até hoje as pessoas falam. Para quem conhece a banda, entende bem do que se tratava: Cada integrante vestido de uma maneira. Lennon, segundo oque dizem, estava preparado para morrer e Paul para um velório. Lennon era o único descalço e de roupa social branca.
Julio sorriu novamente, puxando um ar de graça, de muita graça que logo o fez cair na gargalhada. "Seu idiota, é claro que isso é mentira! As pessoas fazem de tudo para manter uma lenda ainda mais viva!".
Comeu alguns amendoíns. Bebericou sua cerveja e novamente ouviu o grunhido. Seu coração disparou. "Eu preciso parar de ver essas merdas na internet" -Pensou.
Depois de um tempo que o efeito da cerveja passou, Julio sentiu sono. Desligou seu computador e dormiu.
Na manhã seguinte, Julio acordou e ligou o seu computador para finalizar o trabalho de um site para um cliente. Notou algumas letras sem sentido na tela de seu computador. Letras das quais sua mente gravou muito bem; Mas não o suficiente para faze-lo lembrar como eram.
"Ahca arucorp meuq. EtidercA."
Sentiu um gelo em sua barriga enquanto seu coração parecia estar batendo em sua garganta. Seus olhos ficaram embaçados mas rapidamente recuperou a visão, como se quase não percebe que estava a ponto de ter um treco, ou um piti. Pensou novamente no que vira. Foi questão de segundos, como quando temos a impressão de ver alguém e quando olhamos novamente, já não está mais lá. Ignorou e pensou em se acalmar. Focou sua cabeça em seu trabalho.
Em meio à tantos HTML e chaves que ele demorou meses para conseguir entender, teve a impressão de novamente ver aquela maldita frase ao contrário. Decidiu sair caminhar para tomar um ar.
Abriu o portão de sua casa e então o fechou. Ao virar-se em direção à rua, levou um susto gigantesco ao ver dois homens atravessando a rua rapidamente em sua direção. Roupa social e escura. Cada um deles segurando uma maleta e um livro pequeno.
-Olá senhor, gostaria de ouvir a palavra de sued?
-Como disse?
-Gostaria de ouvir a palavra de Deus?
Logo o outro jovem rapaz de roupa social, maleta e livro disse:
-O senhor está bem? Parece um pouco assustado...
-Estou bem obrigado. E não. Não gostaria...
Julio saiu andando deixando os dois religiosos olhando-o enquanto se afastava. Ouviu um grito ensurdecedor e rouco, seguido de uma risada:
-SUED! SUED!
Olhou para trás e não viu mais os dois rapazes.
"Estou ficando idiota da cabeça! Eu preciso parar de pesquisar essas merdas!"
Entrou então em um boteco onde haviam mais ou menos dez homens. O lugar fedia à urina e bebida alcoolica. Um homem gordo, barbudo e robusto apareceu atrás do balcão.
-O que você quer rapaz?
-Um maço de cigarro, por favor.
-Cinco reais, campeão!
-Aqui está...
-Obrigado garoto! Sued!
Julio olhou para trás e encarou o homem. O homem embora parecesse um gigante incrivelmente forte, estava com um sorriso simpático enquanto guardava o dinheiro do caixa. Julio sabia que o tal "sued" fora impressão.

Os dias foram passando e Julio passou a não ter mais a sensação de ouvir coisas que não existiam. Começou novamente a pesquisar algumas coisas para concluir o seu livro.
Julio era um escritor e estava escrevendo o seu primeiro livro. Suas histórias eram contadas de sua maneira através de coisas que ele pesquisava. Estava quase no final.
De noite, Julio ouviu um barulho em sua cozinha e rapidamente foi ver o que era. Uma tampa de panela no chão e sua mãe o encarando assustada.
-Te acordei filho?
-Não... Eu estava acordado, usando a internet...
-Ah... Ju, vai dormir um pouco, você fica madrugando na internet e não dorme nada filho! Mamãe está ficando...
-Tudo bem mãe... Eu já estou indo. Boa noite.
-Boa noite. sued.
Finalmente seu coração parou. Seu corpo paralisou e o tempo parecia ter parado. Não sentia seu corpo, menos ainda sua respiração. Virou-se em direção de sua mãe com um olhar de íra.
-O QUE VOCÊ DISSE? SUED? SUED? PRO INFERNO! PRO INFERNO!
E então correu até seu quarto onde se trancou. Sentou na cama e finalmente voltou a sentir a vida ao seu redor. "Eu estou ficando louco".
Olhou para a tela de seu computador e novamente viu as letras invertidas. Com um salto, Julio se levantou e abriu a janela de seu quarto. Sentiu o vento em seu rosto. Olhou pra rua e viu os dois rapazes parados. Sentiu um desespero gigantesco tomando conta de seu coração. A campainha de sua casa tocou.
Julio correu até a sala de visitas, onde viu sua mãe atendendo os dois rapazes.
-Olá senhora, gostaria de ouvir a palavra de Deus?
-Não, obrigada. -Disse ela com um sorriso simpático- Sou cristã.
-Graças a Deus, senhora. Desculpe o incômodo.
Julio foi até o banheiro para jogar água em seu rosto. Olhou para o espelho e quase na mesma hora o socou, levando os estilhaços ao chão. Vira seu rosto completamente deformado e na parede refletida no espelho, viu a palavra "Deus" escrita com sangue.
Correu de volta ao seu quarto, onde tocava uma música em seu computador. Não pode entender que banda era e qual música tocava. Estava tocando ao contrário...
Julio tentou desligar o seu computador quando notou as palavras em seu monitor, novamente. Anotou-as em um papel e então conseguiu chegar a conclusão do que estava escrito: "Quem procura acha. Acredite".
Encontrou em seu coração o desespero. Saiu de sua casa para caminhar. Julio nunca mais fora visto.
Cinco anos depois, outros dois casos iguais ficaram conhecidos por sites de terror. Inclusive um jogo para computador fora lançado "Quem Procura Acha".
Julio procurou entender o sobrenatural. Mas se esqueceu do velho ditado de sua mãe: "Quem procura... Acha!"

Postagens

Arquivos do blog